ESPETÁCULOS

Catavento Cia Circense
Catavento Cia Circense

Catavento Cia Circense
Catavento Cia Circense

Catavento Cia Circense
Catavento Cia Circense

Catavento Cia Circense
Catavento Cia Circense

1/7
AO ESPERAR

    A modernidade e os grandes centros não devem ser vistos apenas sob o aspecto incrível das construções e das tecnologias que norteiam toda sua rotina. Há um lado nebuloso e perverso na relação espaço/tempo que se desdobram para a vida das pessoas.

    Inspirado e provocado pela obra Não Lugares do antropólogo francês Marc Augè, o fio condutor do trabalho foi pautado em como cada um de nós se comporta nestes Não Lugares, no âmbito das relações. A espera e a impessoalidade assumiram destaque nas relações destes Não Lugares. No final das contas não se sabe o que se espera, num lugar dos outros, mas sem a presença dos outros.

    O trabalho foi construído a partir de pesquisas, discussões, experimentações e observações em alguns destes Não Lugares. O projeto contou com recursos da campanha de financiamento coletivo, realizada pela plataforma “Catarse”, com um total de 96 apoiadores do país inteiro e recursos próprios do grupo.

ACROBÁTICA FÁBRICA DE NATAL

A Gelb Zirkus – Acrobacias Aéreas com apoio da Catavento Companhia Circense apresenta o espetáculo “A acrobática fábrica de natal”. O Espetáculo realizado pelos alunos da escola traz para os palcos uma reflexão sobre este momento tão celebrado no mundo inteiro. Inédito e inusitado, o espetáculo conduzirá o público numa viagem pelos bastidores do Natal, propondo novos olhares e significados.

Catavento Cia Circense
Catavento Cia Circense

Catavento Cia Circense
Catavento Cia Circense

Catavento Cia Circense
Catavento Cia Circense

Catavento Cia Circense
Catavento Cia Circense

1/7
Catavento Cia Circense
Catavento Cia Circense

Catavento Cia Circense
Catavento Cia Circense

Catavento Cia Circense
Catavento Cia Circense

Catavento Cia Circense
Catavento Cia Circense

1/7
SOBRE O CORPO

“O corpo é o primeiro lugar onde a mão do adulto marca a criança, ele é o primeiro espaço onde se impõem os limites sociais e psicológicos que foram dados a sua conduta, ele é o emblema onde a cultura vem inscrever seus signos como também seus brasões” (Vigarello).

Este é um trabalho inicial de investigação do corpo que habitamos e que apresenta traços, desejos, medos, angústias, alegrias, experiências e marcas, dessa relação conflituosa com o corpo. Cada detalhe que o público verá é fruto dos questionamentos e provocações a que submetemos os interpretes criadores nas discussões, laboratórios (teatro, dança, improvisação/criação). Portanto, este não é o resultado, mas o primeiro passo dessa investigação que começa agora e nos acompanhará por toda a vida, como o corpo que habitamos.

 

NÃO LUGAR

“Para que serve a utopia? Para caminhar...”.

Inspirado no texto “Direito ao Delírio” do escritor Eduardo Galeano, o espetáculo Não Lugar busca resgatar a essência da utopia. Não lugar é uma negação dos espaços, formas e padrões estabelecidos pela sociedade atual e ao mesmo tempo é uma busca daquilo que mais se almeja: ora paz, tranquilidade e silêncio, ora igualdade, respeito e liberdade. Buscando estabelecer um diálogo entre circo e dança, as movimentações aéreas preenchem as melodias dando significado aos sentimentos dos alunos acerca da temática. O espetáculo transita por três importantes momentos: a utopia como sonho inatingível; o individualismo, a disputa e a indiferença no limiar entre o desespero e a sobrevivência; E por fim a esperança que alimenta o sonho de um lugar onde não haja fronteiras.

Catavento Cia Circense
Catavento Cia Circense

Catavento Cia Circense
Catavento Cia Circense

Catavento Cia Circense
Catavento Cia Circense

Catavento Cia Circense
Catavento Cia Circense

1/7
Catavento Cia Circense
Catavento Cia Circense

Catavento Cia Circense
Catavento Cia Circense

Catavento Cia Circense
Catavento Cia Circense

Catavento Cia Circense
Catavento Cia Circense

1/4
SENDA

Na busca de evidenciar algumas características que marcam a vida no século XXI, a Gelb Zirkus Acrobacias Aéreas apresenta seu primeiro espetáculo. Aqui, a ideia é refletir sobre a rotina que padroniza ações e anula a criatividade, situação na qual as pessoas estão imersas. Tudo parece vago e efêmero, é o sentido da matéria e não do sujeito. Senda é o caminho, o percurso no qual o sujeito enfrenta a realidade em busca do autoconhecimento e da descoberta de sua essência. O vigor físico, a resistência, a flexibilidade, a sensibilidade artística se misturam nas movimentações aéreas para problematizar o cotidiano e revelar a existência de um novo ser.